Docentes e Labs

Mathias Mistretta Pires

Interações predador-presa; interações mutualísticas; estrutura e dinâmica de redes ecológicas; macroevolução.

Departamento de Biologia Animal

Desde 2018, sou Professor Doutor no Departamento de Biologia Animal do Instituto de Biologia (IB) da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Meu principal interesse é compreender como interações ecológicas influenciam extinções em escala de tempo ecológica e geológica e as consequências ecológicas de extinções. Também tenho interesse em compreender os mecanismos que atuam em diversos níveis de organização biológica e estruturam interações ecológicas gerando padrões no nível de comunidades. Atuo como revisor das principais revistas científicas nas áreas de ecologia e evolução como Science, PNAS, Ecology Letters e Ecology.

FORMAÇÃO

Sou formado em Ciências Biológicas pela Unicamp onde também obtive o título de Mestre em Ecologia sob orientação do Professor Sérgio F. dos Reis. Obtive o título de Doutor sob orientação do Professor Paulo R. Guimarães Jr junto ao programa de Pós-graduação em Ecologia da USP. Após o doutorado desenvolvi um projeto de pesquisa de pós-doutorado sob supervisão do Professor Tiago Quental no Laboratório de Macroecologia e Macroevolução no Departamento de Ecologia da USP.

LABORATÓRIO

No  Laboratório de Estudos sobre a Estrutura e Dinâmica da Diversidade nós combinamos dados ecológicos e paleontológicos, modelagem matemática e a abordagem de redes. Estamos particularmente interessados em fenômenos relacionados à perda de diversidade e suas consequências.

Algumas das perguntas que buscamos responder em projetos atuais são para compreender como sistemas ecológicos estão organizados e como interações ecológicas moldam padrões de diversidade que se manifestam desde a escala local e em tempo ecológico até a escala global e em tempo geológico.

Especificamente:

  • Como a defaunação no passado e no presente altera a estrutura e funcionamento de sistemas naturais?
  • Quais as consequências ecológicas e evolutivas da perda de interações?
  • Como interações ecológicas influenciam a dinâmica de diversificação (especiação e extinção) em linhagens evolutivas?

PUBLICAÇÕES SELECIONADAS

Pires MM, Galetti M, Guimarães PR, Jordano P (2018). Pleistocene megafaunal extinctions and the functional loss of long-distance seed-dispersal services. Ecography, 41: 153-163. doi: 10.1111/ecog.03163.

Guimarães PR, Pires MM, Jordano P, Bascompte J, Thompson J (2017). Indirect effects drive coevolution in mutualistic networks. Nature, 550: 511–514. doi:10.1038/nature24273.

Pires MM, Silvestro D, Quental TB (2017). Interactions within and between clades shaped the diversification of terrestrial carnivores. Evolution, 71: 1855-1864. doi: 10.1111/evo.13269.

Pires MM, Koch PL, Fariña RA, Aguiar MAM, dos Reis SF, Guimarães PR (2015). Pleistocene megafaunal interaction networks became more vulnerable after human arrival. Proceedings of the Royal Society B 282: 20151367.

Yeakel JD, Pires MM, Rudolf L, Dominy NJ, Koch PL, Guimarães PR, Gross T (2014). Collapse of an ecological network in Ancient Egypt. PNAS 111: 14472-14477.

Galetti M, Guevara R, Cortes MC, Fadini R, Von Matter S, Leite AB, Labecca F, Ribeiro T, Carvalho CS, Collevatti RG, Pires MM, Guimarães PR, Brancalion PH, Ribeiro MC, Jordano P (2013). Functional extinction of birds drives rapid evolutionary changes in seed size. Science, 340: 1086-1090.

Instituto de Biologia, Prédio da Pós-Graduação, Bloco O
Avenida Bertrand Russel, s/n, Cidade Universitária Zeferino Vaz – Barão Geraldo
Caixa Postal 6109
CEP 13083-865, Campinas – SP – Brasil
Telefone: (19) 3521-6373
e-mail: coordeco@unicamp.br

Desenvolvido por Sepia Studio. Todos os direitos reservados. 2021.